Foto por Kaboompics .com em Pexels.com

Pequeno manual da Escrita Criativa com 24 dicas

Nem sempre o seu produto ou serviço tem os recursos mais bacanas do mundo, falar sobre fatos e atributos técnicos nem sempre é uma opção quando seu consumidor não entende direito o que você faz.

Às vezes você precisa ser criativo e gerar atenção. Já falei recentemente sobre outras maneiras de despertar atenção falando de causas e usando influenciadores, hoje vou contar um pouco sobre escrita criativa.

O que é escrita criativa?

Foto por Jessica Lewis em Pexels.com

Qualquer escrita, ficção, poesia ou não-ficção, que vai além das formas profissionais da literatura, do jornalismo, da academia ou de conteúdos técnicos pode ser chamada de escrita criativa. Nessa categoria se incluem os romances, épicos, contos e poemas, bem como scripts e roteiros para o cinema e teatro.

8 elementos para orientar sua escrita criativa

Foto por Gravitylicious.com em Pexels.com

Contar histórias é uma ótima forma de usar a escrita criativa para promover seus produtos e serviços, apesar de algumas pessoas conseguirem desenvolver histórias naturalmente existem alguns itens que você deve observar para ter certeza de que não está deixando nenhum elemento importante da história para trás:

  1. Personagens – Todo mundo que vai aparecer na sua história é um personagem, ele pode ser baseado em alguém que você conhece de verdade, ou pode ser criado para a história. No segundo caso é importante escrever um passado para ele: de onde veio, quais são suas motivações, como e porque ele participa da história.
  2. Conflito – Qual é o desafio que os personagens da sua história precisam resolver?
  3. Diálogo – Se os seus personagens conversarem durante a história procure deixar a conversa realista. Quais informações eles precisam trocar durante o diálogo? Como cada elemento do diálogo desperta no outro personagem o desejo de continuar conversando?
  4. Narrador – Como autor da história geralmente você assume o papel de narrador. Você pode adicionar algum elemento da história que poderia ser observado visualmente por alguém que estivesse assistindo, apenas descrevendo (narrando) esse cenários. Se a história que você está escrevendo for representada visualmente (vídeo) você pode encurtar o vídeo explicando parte da história em sua narrativa.
  5. Ritmo – Quando estiver narrando um momento muito importante da história, mesmo que ele aconteça rapidamente, demore o tempo que for necessário descrevendo-o para transmitir todas as emoções. A velocidade da história não precisa ser a mesma velocidade em que os eventos acontecem. Momentos importantes são narrados mais lentamente do que aqueles triviais, ainda que longos (uma viagem de muitos dias, sem importância narrativa, pode durar apenas uma frase curta).
  6. Enredo – Sequência de eventos de uma história, onde cada evento causa alguma coisa e gera um efeito no próximo evento. Você pode simplificar uma história diminuindo a quantidade de eventos, porém tome cuidado para não destruir o enredo criando uma sequência de eventos que não tem relação de causa e efeito clara e definida.
  7. Ponto de vista – Perspectiva a partir da qual a história é contada, geralmente fica em uma das 3 categorias:
    • Primeira pessoa – O Narrador conta a história como protagonista (Eu), muitas vezes ao ler uma narrativa em primeira pessoa o leitor se coloca como protagonista.
    • Segunda pessoa – O Narrador conta a história para o leitor, colocando ele como um elemento participativo da história, o leitor é um dos personagens (Você, Tu, Nós).
    • Terceira pessoa – O Narrador conta a história de uma forma que nem ele, nem o leitor estejam participando ativamente. É a forma mais comum, todos os personagens são referenciados como Eles, Elas, Ele, Ela, etc.. Pode ter ainda mais 2 sub-categorias
      • Omnisciente – O público sabe tudo o que o narrador sabe.
      • Limitado – O público acompanha alguns personagens ou cenários mas não sabe o que se passa com outras pessoas ou em outros lugares.
  8. Cenário – Local onde se passa a história, tanto no tempo (época, ano, estação, dia) quando geograficamente (cidade, país, estabelecimento, etc.)

5 Técnicas para desenvolver sua escrita criativa

Foto por rawpixel.com em Pexels.com

Como se tornar um contador melhor de histórias? Ao descrever os elementos acima já deixei algumas dicas, seguem outras técnicas abaixo para você praticar desde já:

  1. Repertório – Criatividade depende de repertório, para escrever muito bem o primeiro passo é ler muito. Considerando que você quer desenvolver sua escrita para usá-la em publicidade eu sugiro ler autores contemporâneos e populares, mas procure descobrir o que sua audiência gosta de ler, ou assistir (séries e filmes) e consuma o mesmo tipo de conteúdo.
  2. Prática – Parece óbvio mas vale destacar, você não vai se tornar um escritor fenomenal escrevendo meia dúzia de vezes. Os melhores redatores que eu conheço tem um ou mais blogs literários e praticam lá regularmente.
  3. Desenvolva seus personagens – Muitos livros de RPG possuem kits para te ajudar com isso, os backgrounds de D&D 5.0 por exemplo. Mas basicamente é criar um histórico do que ele viveu desde a infância e entender como que as dificuldades que ele experimentou podem te ajudar no seu Enredo. Qual a religião deles, tiveram animais de estimação? Ambos os pais estão vivos? Trabalham com o quê? Quais são seus sonhos? E a maior decepção que já viveram?
  4. Um enredo intrigante – Pense no que o seu protagonista quer. Coloque algum obstáculo desafiador. Crie consequências inesperadas. Faça com que ele passe por uma difícil escolha moral.
  5. Primeiro parágrafo intrigante – Escreva algo que deixe o leitor com vontade de ler o primeiro capítulo. Apresente um problema ou situação inusitada que faça ele “exigir” que você explique em breve!

11 Recursos Narrativos para enriquecer seu enredo

Foto por Mundo Sem Muros em Pexels.com

Para não deixar esse artigo gigantesco vou listar aqui alguns recursos que podem lhe ajudar a criar enredos mais complexos e divertidos, se você quiser ir além na escrita criativa sugiro pesquisá-los e ver quais se adequam mais aos desafios que você quer desenvolver.

  1. MacGuffin
  2. Deus Ex Machina
  3. Chekhov’s Gun
  4. Foreshadowing
  5. Red Herring
  6. Flashback / Flashforward
  7. Save The Cat”/ “Pet The Dog
  8. Lampshading
  9. Cliffhanger
  10. In Media Res
  11. Eucatástrofe

Gostou dessas dicas? Que tal olhar alguns de nossos conteúdos para melhorar seu site ou blog:

cmparar-planos.png

1 Comentário

  1. Lucas Palhão

    Muito obrigado pelo conteúdo!

    Em menos de um mês darei uma oficina de criatividade.
    Com certeza conseguirei usar vários pontos que você explicou aqui.

    Abraço!

Não use esses comentários para fazer perguntas, pedir suporte ou informar erros. Para isso, use os nossos fóruns ou o entre em contato com nossa equipe de suporte.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie seu novo blog ou site gratuitamente

Comece agora

%d blogueiros gostam disto: